segunda-feira, 24 de dezembro de 2012


Que neste Natal,

eu possa lembrar dos que vivem em guerra,
e fazer por eles uma prece de paz.

Que eu possa lembrar dos que odeiam,
e fazer por eles uma prece de amor.

Que eu possa perdoar a todos que me magoaram,
e fazer por eles uma prece de perdão.

Que eu lembre dos desesperados,
e faça por eles uma prece de esperança.

Que eu esqueça as tristezas do ano que termina,
e faça uma prece de alegria.

Que eu possa acreditar que o mundo ainda pode ser melhor,
e faça por ele uma prece de fé.

Obrigada Senhor
Por ter alimento,
quando tantos passam o ano com fome.

Por ter saúde,
quando tantos sofrem neste momento.

Por ter um lar,
quando tantos dormem nas ruas.

Por ser feliz,
quando tantos choram na solidão.

Por ter amor,
quantos tantos vivem no ódio.

Pela minha paz,
quando tantos vivem o horror da guerra.

Pela minha família,
quando tantos vivem sozinhos.

Feliz Natal com toda paz, saúde e prosperidade à todos!!




segunda-feira, 10 de dezembro de 2012


"Surpreenda sempre. Mas, por favor, surpreenda com bons momentos, com instantes de felicidade, com lembranças inesperadas. Surpreenda com um telefonema no meio da noite, um convite para uma saída meio de semana. Surpreender é a arte de fazer o que sempre esperamos no momento em que menos imaginamos. Quem não gosta de receber flores do nada? Rosas... Ah, as rosas são mágicas. Elas nos deixam sem fôlego, ansiosas pelo cartão, pelas letras e o mandatário. É mágico, é inesperado, é surpreendente.

E o telefone que toca no meio da noite sem mais nem menos. Primeiro o coração dispara. Acordou-me e ainda nem sei do que se trata. Olho para o relógio e é tarde, muito tarde. A primeira coisa que me vem à cabeça é o medo de uma notícia ruim. O coração dispara... Mas, logo se acalma quando ouve, do outro lado da linha, a voz e a frase: liguei porque estava com saudade... Ah... lembrar-me que sente saudade de mim, no meio da noite, que a cama está fria sem m
inha presença, que a noite está solitária sem meu calor... Isso é surpreender-me.

O convite para uma viagem rápida no meio da semana... Assim.. Sem mais nem menos. Como? Não posso! Posso, posso sim... Ah, posso! Posso porque é com você. Posso porque é irrecusável. Aquela fugidinha que tanto sonhamos de repente acontece e assim: sem planejar, sem muita elaboração. Posso, porque fui surpreendida por você.

Por isso, surpreenda sempre. Todo mundo gosta de ser lembrado e surpreendido com um gesto, uma palavra, uma atitude, um convite...

E, sabe, surpreender tem tudo a ver com fazer o que é certo fazer, mas de uma forma única e especial. Tem a ver com a arte de quebrar o previsível sem que o outro perceba e com interromper a expectativa antes de ela começar a virar decepção. Sim, porque quando esperamos que aconteça e acontece sem que acreditássemos que aconteceria, isso é sermos surpreendido. Mas, se há a expectativa e ela caduca, essa se transforma em decepção ou frustração. Portanto, evite frustrar e procure surpreender sempre. É a arte de manter a chama acesa e de estarmos sempre em sintonia. Um fazendo o que o outro espera que seja feito da forma mais inesperada possível porque, cá para nós, todo mundo espera que as coisas aconteçam – e eu acredito nisso -, mas poucos fazem com que aconteçam de um jeito inusitado, diferente e agradável em nossas vidas..."


"Eu nunca aceitei a simplicidade do sentimento. Eu sempre quis entender de onde vinha tanta loucura, tanta emoção. Eu nunca respeitei sua banalidade, nunca entendi como pude ser tão escrava de uma vida que não me dizia nada, não me aquietava em nada, não me preenchia, não me planejava, não me findava.
Nós éramos sem começo, sem meio, sem fim, sem solução, sem motivo.
...Não sinto saudades do seu amor, ele nunca existiu, nem sei que cara ele teria, nem sei que cheiro ele teria. Não existiu morte para o que nunca nasceu....

....Sinto falta da perdição involuntária que era congelar na sua presença tão insignificante. Era a vida se mostrando mais poderosa do que eu e minhas listas de certo e errado. Era a natureza me provando ser mais óbvia do que todas as minhas crenças. Eu não mandava no que sentia por você, eu não aceitava, não queria e, ainda assim, era inundada diariamente por uma vida trezentas vezes maior que a minha. Eu te amava por causa da vida e não por minha causa. E isso era lindo. Você era lindo.
Simplesmente isso. Você, a pessoa que eu ainda vejo passando no corredor e me levando embora, responsável por todas as minhas manhãs sem esperança, noites sem aconchego, tardes sem beleza....


....sinto falta de quando a imensa distância ainda me deixava te ver do outro lado da rua, passando apressado com seus ombros perfeitos. Sinto falta de lembrar que você me via tanto, que preferia fazer que não via nada. Sinta falta da sua tristeza, disfarçada em arrogância, em não dar conta, em não ter nem amor, nem vida, nem saco, nem músculos, nem medo, nem alma suficientes para me reter.

Prometi não tentar entender e apenas sentir, sentir mais uma vez, sentir apenas a falta de lamber suas coxas, a pele lisa, o joelho, a nuca, o umbigo, a virilha, as sujeiras. Sinto falta do mistério que era amar a última pessoa do mundo que eu amaria."
Tati Bernardi

segunda-feira, 26 de novembro de 2012



Não que eu seja complicada. Entenda: eu gosto de constância. De ter o controle das coisas, de não ter que me preocupar.
Mas ele não me traz segurança.
É o mesmo que ter um passarinho em mãos: você não sabe se, quando abrirem a gaiola, ele vai fugir e levar todos os seus sonhos para longe.
Não gosto de gente duas caras. Que finge se importar. Que hoje te procura, mas amanhã não te reconhece.
Eu não preciso de declarações diárias de fidelidade, só preciso de estabilidade de comportamento. Eu não saio por aí espalhando meu segredo, mas também sou passarinho: Ao menor sinal de movimento eu me escondo, eu me assusto, eu desconfio. Parto pra bem longe do que pode me machucar.



- Fernanda Roldi




quinta-feira, 15 de novembro de 2012






Em um daqueles dias de oscilações ( alegre e triste ) como esse fenômeno é possível não sei, mas sinto que estou bem e com uma profunda vontade de chorar, necessito especificamente hoje ficar a sós com meus pensamentos, mas adoraria sentir o calor de alguém ao meu lado, já desisti de me entender, ser esse ser complexo...

Sou uma jogadora compulsiva da vida, dessas que não desiste no primeiro "FAIL" , enquanto eu tiver vidas vou usá-las, porque o mais importante pra mim não é vencer, é conhecer o meu limite, gosto de ir além do que eu consigo sentir, para conhecer as regras do jogo, as ciladas, os meus inimigos e as minhas fraquezas, só assim eu terei a certeza que no próximo jogo eu vou vencer...Por enquanto, GAME OVER...apertei o PAUSE para recuperar fôlego e reiniciar o jogo....
NEVER GIVE UP.



Escrevo palavras e choro poemas.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012


Nós seres humanos temos quase sempre essa tendência de classificar a vida como “complicada e dificíl”, pelas adversidades que nos são impostas no dia-a-dia.
Mas muita das vezes somos nós quem complicamos tudo, somos nós quem tornamos uma coisa simples em uma catástrofe.
Então : Chega de se complicar. Chega de se cobrar. Chega de recordar histórias do passado. Chega de cultivar antigos sentimentos.
Não se deixe, não se permita!
Chega de lembrar de quem não lembrará de você. Chega de por os outros acima de suas vontades. Se ponha em primeiro lugar várias vezes seguida, e sem conta.
Chega de guardar sentimentos na prateleira. Use-os. Jogue-os ao vento sem medo. Ponha na mão de quem irá cuidar. Chega de guardar expectativas, de fazer planos solitários a dois. De construir sonhos por cima de alguém.
Chega de guadar suas verdades por medo de julgamentos.
Chega de adiar aquela chamada especial pra “aquela” pessoa.
Chega de não enxergar o potencial que você tem.
Descomplique tudo, deixe as coisas mais facéis de lidar, mas leves de suportar.
Converse, se expresse, dê um tempo pra que o outro fale.
Escute, entenda, admita a saudade, peça pra voltar, peça pra que fique.
Diga sim quando for sim, diga não quando for não.
Não calcule demais uma ação, não pense demais no “depois”, porque se te faz feliz, de alguma forma bem também te fará.
A vida é apenas uma, e ela não permite repetições, e nem voltas.
Chega de não viver a vida intensamente.


IMELDA SITOLE

quarta-feira, 24 de outubro de 2012




O cara que pensa em você toda a hora
Que conta os segundos se você demora
Que está todo o tempo querendo te ver
Porque já não sabe ficar sem você


E no meio da noite te chama
Pra dizer que te ama
Esse cara sou eu

O cara que pega você pelo braço
Esbarra em quem for que interrompa seus passos
Que está do seu lado pro que der e vier
O herói esperado por toda mulher

Por você ele encara o perigo
Seu melhor amigo
Esse cara sou eu

O cara que ama você do seu jeito
Que depois do amor você se deita em seu peito
Te acaricia os cabelos, te fala de amor
Te fala outras coisas, te causa calor

De manhã você acorda feliz
Num sorriso que diz
Que esse cara sou eu
Esse cara sou eu

Eu sou o cara certo pra você
Que te faz feliz e que te adora
Que enxuga seu pranto quando você chora
Esse cara sou eu


O cara que sempre te espera sorrindo
Que abre a porta do carro quando você vem vindo
Te beija na boca, te abraça feliz
Apaixonado te olha e te diz
Que sentiu sua falta e reclama
Ele te ama
Esse cara sou eu

ზ Roberto Carlos



sábado, 20 de outubro de 2012








"Que ninguém implore amor, nem afeto, nem mendigue qualquer sentimento que exige um pedaço do outro. Viver de migalhas, jamais. Soma-se de coisas que te façam bem, ignore qualquer tipo de sentimento que te subtraia. Que tudo seja natural, principalmente nossas próprias escolhas. Que as pessoas não sejam apenas de carne e osso, mas que sejam de alma e coração, que façam a diferença, nem que seja por um momento, mas que seja. Que o carinho seja muito mais que um simples tocar, mas seja um sentir. Que a compreensão venha junto com a paciência de aceitar o outro como ele é. Que julgamentos sejam apenas julgamentos de pessoas precipitadas que não enxergam o sentido de um ser humano, e que elas se corrijam, pelo menos. Que todos consigam alcançar a felicidade, e que ela seja partilhada, desperdiçando sorrisos e esbanjando alegrias. Que tenhamos forças para aguentar as nossas fraquezas e coragem para assumi-las. Que a nossa vida tenha o sobrenome de viver, de verdade. Que nada seja de mentira, e quando houver mentira que tenhamos a serenidade de reconhecer que o tempo sempre faz seu trabalho, e bem feito. E que antes de aprender a amar o outro, amemos a nós primeiro e se for implorar por amor, que seja por amor próprio. Amém!"
(Maíra Cintra)

terça-feira, 9 de outubro de 2012



Sem essa de esperar. Sem essa de não correr atrás, de deixar o vento te trazer. Sem essa de que ''o que é teu, volta''. As pessoas estão muito conformistas e preguiçosas. ''Se for pra ser, será'', mas não será se você não levantar o traseiro dessa cadeira e sair da frente desse computador. Não será se você ficar em casa chorando. Não será se você não fizer nada, não tomar iniciativa. Deixa de colocar a culpa na vida, no destino, nos outros. Porque se não for, a culpa não vai ser de ninguém além de ser tua. Só tua. Então levanta, vai atrás, larga o orgulho e a preguiça. Deixa de achar que tudo gira ao seu redor, porque não gira. Deixa de achar que o amor não acaba, porque acaba. Deixa de achar e age.

ზ Maria Smith




“Suponhamos que eu seja uma criatura forte, o que não é verdade. Suponhamos que ao tomar uma resolução eu a mantenha, o que não é verdade. Suponhamos que eu escreva um dia alguma coisa que desnude um pouco a alma humana, o que não é verdade. Suponhamos que eu tenha sempre o rosto sério que vislumbro de repente no espelho ao lavar as mãos, o que não é verdade. Suponhamos que as pessoas que eu amo sejam felizes, o que não é verdade. Suponhamos que eu tenha menos defeitos graves do que tenho, o que não é verdade. Suponhamos que baste uma flor bonita para me deixar iluminada, o que não é verdade. Suponhamos que eu esteja sorrindo logo hoje que não é dia de eu sorrir, o que não é verdade. Suponhamos que entre os meus defeitos haja muitas qualidades, o que não é verdade. Suponhamos que eu nunca minta, o que não é verdade. Suponhamos que um dia eu possa ser outra pessoa e mude de modo de ser, o que não é verdade.”

[Clarice Lispector] - Supondo o errado!

domingo, 30 de setembro de 2012



Hoje eu acordei naqueles dias em que parei para pensar na vida e me revoltei um pouco com tudo o que acontece e vamos engolindo quietas, sem realmente falar o que sentimos e o que queremos.
Seria tudo tão mais fácil se todos fossemos sinceros uns com os outros, evitaríamos tanto tempo perdido e tanta confusão à toa, não iludiríamos ninguém, a verdade as vezes dói...mas vai ser somente por alguns minutos, do que ficar perdendo seu precioso tempo "tentando" adivinhar o que os outros sentem.
Seria tão mais simples se todos agissem assim:
Se não vai ligar, não peça o número. Se vai não vai aparecer, não marque nada. Se não tem certeza do sentimento, não diga “eu te amo” só por achar bonitinho. Se não gosta mais, não omita… conte, seja honesto! Se está em dúvida, pare, pense e decida o que quer. Se errou, assuma e não inverta a situação. Se tem algum problema, fale… ninguém é obrigado a adivinhar. Se quer ficar sozinho, peça… todo mundo tem direito a se isolar de vez em quando. Se algo te irrita, converse, esclareça… mas não seja intolerante. Se está confuso, espere as coisas ficarem mais claras para se envolver. Se tudo acabou, tenha cuidado com as palavras e como vai tratar quem ainda te ama. Se não quer, não gosta e não pretende ficar, é um direito seu… Mas não esqueça que ter respeito pelo outro, é o mínimo que se espera de você!"
Será que é egoísmo querer alguém que seja diferente de todos os outros e te faça sentir especial, te faça sentir "única", que te transmita tanto amor e segurança que você terá certeza que ele vai te respeitar do seu lado ou longe de você? será que é pedir demais alguém que te ame tanto que não tenha olhos pra mais ninguém? Alguém que seja companheiro, amigo, amante, namorado, que fique feliz com minhas vitórias e lute junto comigo e me transmita tanta segurança que eu seria capaz de enfrentar o mundo...
Porque todos são todos iguais, todos fazem esse jogo da conquista até conseguir o prêmio, será que eu nunca encontrarei "essa" pessoa? não quero ninguém perfeito e parece que essas qualidades que eu procuro não existem mais hoje em dia, mas eu vou esperar.
Eu disse que sempre seria aquela menina que acredita. Que sonha. Que ama. E mesmo depois de tanto tempo, eu volto e digo, com toda aquela verdade de outrora: - Eu não perdi o poder se sonhar. Eu ainda acredito muito. Mesmo quando o mundo
às vezes me prova o contrário, me traz o contrário.
Sei que é patético o meu desabafo de hoje, mas eu precisava.....muito!!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012


"Hoje em dia as pessoas se decepcionam com coisas fúteis, tratam friamente aqueles que amam, deixam um relacionamento ser tomado pelo orgulho e depois dizem que tá faltando amor no mundo. O que tá faltando não é amor, é atitude. Atitude de dizer o que sente sem medo de ser rejeitado, coragem de dar o primeiro passo e fazer a sua parte indepentemente do outro. Surpreenda. E se tudo der errado? Se na pior das hipóteses isso acontecer, não se preocupe. Você tem uma vida inteira para tentar novamente e quantas vezes forem preciso! Se nem o que é bom dura para sempre, o que te fere há de durar menos ainda. Por isso viva insanamente, ame com intensidade e quando tudo acabar tenha orgulho de dizer: Eu só me arrependo do que eu não fiz. Houve uma mudança de planos e eu me sinto incrivelmente leve e feliz. Descobri tantas coisas. Tantas, Tantas. Existe tanta coisa mais importante nessa vida que sofrer por amor. Que viver um amor. Tantos amigos. Tantos lugares. Tantas frases e livros e sentidos. Tantas pessoas novas. Indo... Vindo... Tenho só um mundo pela frente. E olhe pra ele. Olhe o mundo! É tão pequeno diante de tudo o que sinto. Não dá mais para ocupar o mesmo espaço. Meu tempo não se mede em relógios. E a vida lá fora, me chama. E a gente sofre, porque gostaria que fosse de outro jeito,mas isso é um erro. NADA vai acontecer do nosso jeito, se tudo ocorrer do nosso jeito não haverá graça, quando dar errado é bem melhor porque assim aprendemos com a vida, com o amor e recomeçamos, quero te dizer que muito mais importante que ter alguém é ter paz. Muito mais importante que ter alguém é saber lidar com você mesma. É se gostar, se curtir, se suportar, se superar todo dia. É gostar do que vê e do que não é visível aos olhos. É engolir e sorrir para a própria companhia. Muito mais importante que ter alguém é estar todo dia verdadeiramente apaixonada pelo “alguém” mais importante da sua vida: você mesma."
Identidade Poética

quarta-feira, 12 de setembro de 2012



A gente pode até falar que ama no calor do momento, mas nunca ter amado.
Eu sinceramente acho que nunca amei, porque acho que o amor é maior que tudo, e se eu tivesse amado não teria acabado.
Podemos até gostar, nos importar, mas amar já é outra coisa. Nós confundimos muito as coisas e aceitar essa confusão é meio complicado, porque a gente quer amar mesmo sabendo que vai se machucar. Parece que temos um certo tipo de afeição por esse tipo de coisa, amor não correspondido, aquele amor complicado, impossível e tal...
O amor é maior que uma briga, uma desconfiança, ele age sem perguntar sua vontade, faz você querer, mesmo sem você querer. Sei lá, acho que o amor vai muito além das palavras e certas atitudes... Amor é o que te faz ficar e não se afastar!
Muita gente quer mostrar o que não é, o que não sente, e você se apaixona e depois se decepciona! O amor não esconde defeitos, afinal não há ninguém perfeito!

Só acho que o amor suporta tudo e se não suportou e por algum motivo acabou, é porque não foi amor...

Aline Pinheiro 



quarta-feira, 5 de setembro de 2012



Não se contente com meias verdades ! Procure a verdade inteira, junte peças, busque sinais, e guarde apenas palavras claras, que forem ditas com firmeza, com certeza.
Não aceite uma despedida livre de discursos ! Procure, dê a cara a bater
, telefone, vá atras, questione. Silêncio só dá paz quando tudo já foi dito.
Não aceite meias porções, não aceite se atirar se não souber que terá alguém do outro lado pronto pra a segurar.
Não aceite meia -saudade,meia-vontade, um -quase- amor, meia-amizade. Quase sentimentos, trazem consigo dores inteiras.
Não tolere um talvez, um não sei, uma meia resposta. Na vida existe apenas o sim e o não, o quero e não quero, o posso e não posso, o resto é complicação.
O conformismo muitas vezes nos faz ficar apegadas a uma “meia vida”. Vivemos a vida pela metade, acreditando que um dia ela nos surpreenderá e se tornará inteira.
Você é inteira, intensa, sentimentos completos, não permita se encaixar em metades.


Imelda Sitole

terça-feira, 4 de setembro de 2012



Tem um segredo que as pessoas não contam, pois tem muita gente que não daria conta de digeri-lo: a sua vida pode ser do jeito que você quiser. Sem melodramas, sem discursos poéticos, sem sermões. O fato é que todo mundo nasce com livre arbítrio e vai construindo sua vida, escolha após escolha. Se você parar pra pensar e voltar no tempo, vai conseguir reconhecer e identificar todas as ações que te trouxeram até o exato lugar em que você se encontra hoje. Ora, mas então se somos realmente senhores do nosso destino, então porque tem tanta gente frustrada e infeliz hoje em dia?

A grande variedade de opções à nossa disposição nos dias de hoje dificulta ainda mais as nossas escolhas. É como estar morrendo de fome, mas se perder em meio de um bairro com um restaurante a cada esquina – sua fome é real, mas você não sabe o que quer: você tem fome do quê? você tem sede do quê? Sem conseguir responder a essas perguntas, você rodará eternamente entre os restaurantes mexicanos, italianos, indianos, brasileiros, mas não conseguirá saciar a sua fome, pois você não tem ideia do que quer comer.

Funciona assim também na área dos relacionamentos. Vemos a nossa volta um mar de gente linda, moderna, com bons empregos, com dinheiro, mas tudo isso não faz sentido algum se elas não sabem o que buscam. A moça arruma o cabelo, compra roupa, põe silicone, malha, faz as unhas, se equilibra num salto 15, mas chega na balada e, por não saber o que procura, só vai nos caras errados. Por falta de olhar pra dentro dela mesmo e de descobrir do que seu coração necessita, ela ignora os apelos do seu ser e vai em busca do que é considerado como modelo pela sociedade – o cara de carro do ano, gel no cabelo, braço forte, camisa polo. Ela não buscava isso mas, como não sabe o que busca, se joga no vento, vai como um veleiro pra direção que a vida decidir levá-la.

E depois ela chora, se lamenta, fica deprê no sábado a noite comendo pipoca sozinha quando as baladas já não a satisfazem mais. Não que há algo de errado em sair, beber, dançar, fazer aquela sessão descarrego tão necessária, mas esse tipo de programa só alimenta uma parte muito superficial do seu ser. Quando o som acaba, quando as luzes se apagam, quando o álcool do seu corpo se estabiliza depois do hot-dog prensado, então o vazio fica desesperadamente maior – a solidão ecoa no peito, obrigando a moça a sair de novo para não ouvi-la. E assim começa-se um ciclo de ilusões e de buracos no peito.

Ah, os buracos no peito.

Eles são sempre mais profundos do que você permite-se reconhecer. Se você não cuida, seu peito fica pior do que as ruas esburacadas de São Paulo. Vem a prefeitura, dá uma arrumada de leve, cobre superficialmente os buracos. Por fora, o asfalto é um tapete. Por fora, os que vêem seu sorriso nem imaginam a profundidade dos buracos que carrega por dentro. E depois de alguns dias, depois de serem pisoteados de novo, os buracos se abrem novamente, dessa vez mais profundos, mais machucados, mais difíceis de serem tampados. E você só pode fazer alguma coisa a respeito quando descobrir o que busca.

Então, vai menina, desce do salto, larga o batom, mostra as olheiras, deixa seu cabelo natural se esvoaçar no vento. Não gaste muito tempo se preocupando com o corpo, porque a terra vai se ocupar dele cedo ou tarde – com ou sem maquiagem. Olha um pouco pra dentro, pra o que importa, pra sua alma que há tempos tenta ser ouvida. Desliga o som, fecha os livros, sai da frente da TV. Ouve aquele clamar que ninguém sabe explicar, mas que vem de dentro. E cuidado com a mente – ela abafa os clamores do coração.

Não se perca na busca, nem desista dela. Pare somente quando descobrir o que buscas, o que te alimenta de verdade. Será mesmo que esse trabalho que te prende 14 horas numa sala fechada te faz feliz? Será que homem que diz que te ama mas que te valoriza mesmo pela sua bunda, merece fazer parte da sua vida? Será que esse curso vale mesmo a pena somente por um diploma pendurado na parede? Pra essas perguntas, não existe gabarito – só você poderá respondê-las verdadeiramente.

E quando você descobrir o que procura e soltar um grande foda-se para os padrões que o mundo inteiro tenta te convencer a seguir, você então vai descobrir que a vida é boa, que é bela, que pode ser o que você quiser. E aí então, você vai querer lamentar pelos dias perdidos na escuridão – faça-o, mas não perca muito tempo revivendo o passado. Agora você já sabe – o presente é bom demais para isso.

Casal Sem Vergonha

domingo, 2 de setembro de 2012




'Ela não quer um namorado... Ela quer um Homem. Daqueles capazes de reconhecer os valores que ela tem. Só os Homens de verdade são capazes de reconhecer Mulheres que valem a pena... Que valem o empenho e tudo pra faze-la se sentir bem,  forte, desejada, respeitada e amada de verdade. Ela quer um Homem que a veja com olhos de verdade e afeto. Quer ser ela mesma, pois já abriu mão demais e agora o que ela precisa é não precisar de quem não reconhece suas qualidades. Descobriu que não precisa passar por situações lamentáveis que a privou de ver amigos e viver emoções. Ela quer sem precisar... Quer ser egoísta pra aprender dividir. No fundo, ela não quer um menino... Ela quer um companheiro que seja Homem suficiente pra ser só dela.''




segunda-feira, 27 de agosto de 2012




O melhor foco é o que me desfoca inteira. 
Tudo que me tira do prumo me coloca no eixo.
Só me encontro quando me perco, se me mando não me obedeço e desordem é a palavra de ordem da minha vida.
Não adianta, só vira minha cabeça mesmo, quem vira minha vida de cabeça pra baixo. Pra ficar do meu lado tem que me virar do avesso.
Se tem uma coisa certa que eu sei fazer é coisa errada.
Tudo dá certo quando eu erro com vontade.
Porque o melhor tombo do mundo é cair em tentação. 

domingo, 26 de agosto de 2012


"Já ouvi várias vezes ah-como-você-lida-bem-com-as-coisas. Não, não lido. Sou péssima em lidar “com as coisas”. Sou ciumenta com coisas bobas, impulsiva pelo menos uma vez por dia, leio bula de remédio e depois acho que tenho aquele bando de sintomas, meu dedão do pé não é bonito, quero tudo do meu jeito e minha cabeça é muito, muito dura. Não sou uma musa, uma diva, uma entidade, uma mestra. Sou uma pessoa. E de vez em quando sou uma pessoa péssima. Péssima mesmo. De vez em quando morro de vergonha de mim. E se eu fosse você morreria de vergonha de mim também. Amo muito, tudo é muito, tudo é exagero, tudo é demais."

Clarissa Corrêa

sexta-feira, 24 de agosto de 2012




"(...) Intenções soltas e desejos desconexos. Esse mistério todo é uma violência contra a minha inteligência. Sejamos diretos para não sermos idiotas: eu te quero. Você me quer? Não sabe? Ah, então vá pra puta que te pariu. (E vá ser vago na casa da sua mãe porque embaixo da sua manga eu não fico mais!)
(...) Seja inteligente, faça jus à espécie, seja Sapiens. Perceba o sinal verde, ultrapasse.
(...)Eu não sou morna e, se você não quiser se queimar, morra na temperatura do vômito. E bem longe de mim.
(...)Eu ainda quero muito. Quero as três da manhã de um sábado e não as sete da tarde de uma quarta. Vamos viver uma história de verdade ou vou ter que te mandar pastar?
(...)A sorte é sua de ser amado por mim e eu quero agora, ontem, semana passada.
Amanhã não sei mais das minhas prioridades: posso querer dormir com pijama de criança até meio-dia, pagar 500 reais numa saia amarela, comer bicho-de-pé no Amor aos Pedaços ou quem sabe dar para o seu chefe em cima da mesa dele.
(...) É assim que vivo, masturbando minha mente de sonhos para tentar sugar alguma realização. É assim que vivo.
(...)Calma, raciocínio e estratégia são dons de amor que pára para racionalizar. Amor que é amor não pára, não tem intervalo, atropela.
Não caio na mesma vala de quem empurra a vida porque ela me empurra. Ela faz com que eu me jogue em cima de você, nem que seja para te espantar.
Melhor te ver correndo pra longe do que empacado em minha vida."


Tati Bernardi


"Cansei de quem gosta como se gostar fosse mais uma ferramenta de marketing. Gostar aos poucos, gostar analisando, gostar duas vezes por semana, gostar até as duas e dezoito. Cansei de gente que gosta como pensa que é certo gostar. Gostar é essa besta desenfreada mesmo. E não tem pensar. E arrepia o corpo inteiro, mas você não sabe se é defesa para recuar ou atacar. Eu eu gosto de você porque gostar não faz sentido.

Permita-se. Se você acha que no fundo mesmo, apesar de todas essas reuniões e palavras em inglês que só querem dizer que você não sabe o que está falando, o que importa é ter pra quem mostrar que saiu o arco-íris. Permita-se. Porque eu não quero que você tenha essa pressa ao ponto de ajudar com as próprias mãos. Eu quero que você sinta esse prazer que chega aos poucos. E mata tudo que há em volta. E explode os relógios. E chega aos poucos ainda que você ainda não saiba nem quem é pouco e nem quem é lento. Porque você morre. Se você prefere a vida quando se morre um pouco por alguém... permita-se!

Eu não faço a menor idéia de como esperar você me querer. porque se eu esperar, talvez eu não te queira mais.

Eu não queria ir embora e esperar o dia seguinte. porque cansei dessa gente que manda ter mais calma. E me diz que sempre tem outro dia. E me diz que eu não posso esperar nada de ninguém. E me diz que eu preciso de uma camisa de força. Se você puder sofrer comigo a loucura que é estar vivo. se você puder passar a noite em claro comigo de tanta vontade de viver esse dia sem esperar o outro, se você puder esquecer a camisa de força e me enroscar no seu corpo para que duas forças loucas tragam algum equilíbrio. Se você puder ser alguém de quem se espera algo, afinal, é uma grande mentira viver sozinho.Eu só queria alguém pra vencer comigo esses dias terrivelmente chatos...permita-se” 


Tati Bernardi
 (...) Eu nunca vou entender porque a gente continua voltando pra casa querendo ser de alguém, ainda que a gente esteja um ao lado do outro. Eu nunca vou entender porque você é exatamente o que eu quero, eu sou exatamente o que você quer, mas as nossas exatidões não funcionam numa conta de mais...

Mas aí, daqui uns dias.... você vai me ligar. Querendo tomar aquele café de sempre, querendo me esconder como sempre, querendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor. Me querendo no escuro. E eu vou topar. Não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer. Apenas porque você me lembra o mistério da vida. Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo."


 Tati Bernardi

quinta-feira, 9 de agosto de 2012




Minha vida mudou muito nos últimos anos. Eu mudei muito nos últimos anos. Mudei sem oferecer a menor resistência. Mudei sem me surpreender com as mudanças. Elas simplesmente apareceram, aconteceram, me invadiram e se instalaram. Então, eu finalmente me senti em casa dentro de mim mesma. E hoje, mais do que nunca, sinto que não devo nada para ninguém. A gente demora demais para se livrar de pesos e culpas. Mas um dia, finalmente, a gente acorda. E descobre que tem uma vida inteirinha pela frente.. :)




- Clarissa Corrêa 






Preciso admitir, sou muito irônica, e grossa as vezes, um pouco meiga de vez em quando. Gosto do meu lado apaixonada, mas quase nunca aparece. E meu lado safado chega a me assustar. Protetora e ciumenta ao extremo. Tenho um gênio difícil e um temperamento forte. As vezes sou barraqueira, outras, calma até demais. Dura como uma pedra e frágil como um vidro. Mais conhecida como a rainha do drama, essa sou eu. E sabe o que mais me assusta? Ainda tem gente que gosta...

Tati Bernardi.

terça-feira, 7 de agosto de 2012




Atento, inteiro, intenso. Entregue ao que fosse. Ao que viemos a ser. Ao que aquele dia fez de nós até aqui. Presença e ausência ali. Captados. De mãos dadas.





- Bibiana Benites 

domingo, 29 de julho de 2012


Dizem que a gente tem o que precisa. Não o que a gente quer. Tudo bem. Eu não preciso de muito. Eu não quero muito. Eu quero mais. Mais paz. Mais saúde. Mais dinheiro. Mais poesia. Mais verdade. Mais harmonia. Mais noites bem dormidas. Mais noites em claro. Mais eu. Mais você. Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca. Eu quero nós. Mais nós. Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala. Nós que não atam nem desatam. Eu quero pouco e quero mais. Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais.

- Caio F. Abreu

sábado, 28 de julho de 2012


- É como se ninguém pudesse me amar e ponto, de tanto colarem o adesivo de ‘trouxa’ na minha testa, qualquer carinho me parece suspeito. Percebe a tortura? Fico oscilando entre confiar e desconfiar, querendo viver uma história leve e sempre me afundando nas minhas neuroses e cicatrizes...


Tati Bernardi

domingo, 15 de julho de 2012




Um dia vai dar certo, ah vai. Mas antes disso vai dar tudo errado. Tudo. Você vai se decepcionar com as pessoas que mais gosta. Vai tirar notas ruins mesmo tendo passado a noite estudando. Vai brigar com a sua mãe. Vai cortar o cabelo e achar que ficou horrível. Vai ver o namorado com a sua melhor amiga. Vai perder pessoas que ama. Vai cair de cara no chão. De novo. E de novo. E quando você não tiver mais forças pra se levantar, vai aparecer alguém pra dar a mão e te levantar. É ele. Deu certo. 

Tati Bernardi

quinta-feira, 12 de julho de 2012


Chega de contos de fada por hoje, eu acordei afim de uma história de verdade. Não quero um príncipe, quero um homem, com a barba  mal feita, de calça jeans e blusa de banda de rock com cheirinho de amaciante. Tô afim daquela fala meio bruta, mas cheia de carinho quando olha pra mim, tô afim de defeitos que me tirem do sério, com uma pegada que me tire a respiração. Tô afim de um amor de outro mundo, que seja totalmente do meu mundo, do meu jeito e que bagunce tudo que eu vivo tentando arrumar.


terça-feira, 3 de julho de 2012

                                         
A bolha de influência invisível e maléfica que nos dita a cada segundo como devemos nos vestir, o que devemos achar bonito, o que deve ser considerado coisa de pobre, o que faz daquele sujeito parecer mais bacana diante de todos os outros, cada dia mais nos transforma em seres que são mais do mesmo. Como numa gigante linha de produção, vemos pessoas-produtos esbanjando padrões como se tivessem sido escolhidos por elas, quando na verdade todas as escolhas foram, dia após dia, sendo injetadas em seus subconscientes que estavam ocupados demais fuçando nas novas atualizações do Facebook pra se darem conta disso. A geração dos zumbis, meus amigos, está mais perto do que você imagina.

Mas nem tudo está perdido.

Eis que quando você já estava perdendo a esperança, ela surge na mesa ao lado. Os cabelos encaracolados castanhos e volumosos. Na pele, nada de sombras azuis, na boca, nem sinal de batom vermelho. Você desce o olhar pra notar os seios, que caberiam na palma de uma mão, delicadamente pesando pra baixo. Não há ferros nem bojos fazendo o crime de impedir que eles dêem aquela leve caída dos deuses. As mãos que viram as páginas do cardápio são inegavelmente femininas – dedos pequenos, revelam uma surpresa em suas pontas – não há esmaltes – nada de cabaret, new york, beijo molhado, preto fosco, verde palmeiras. Nos pés também não se vê aquela pontinha de band-aid denunciando que a escolha da noite passada periodizou a beleza, e não o conforto. Seus pés parecem felizes dentro de um sapato confortável. As roupas, mostram pouco diretamente, mas deixam vários sinais de que o que está por baixo delas é um conjunto inteiro que faz muito mais milagres do que só uma bunda malhada. Ela parece não se importar com padrões porque o que importa nela é ela mesma – e porque sabe que não adianta de nada uma embalagem bonita se o conteúdo não surpreender. Sabe que a vida é curta demais e decidiu gastar seu tempo com coisas que realmente importam. Na verdade, ela está pouco se fodendo pra essa disputa de pessoas vazias em busca de um lado externo perfeito. E, se você quer mesmo saber, ela não dá a mínima se você a acha menos gostosa por isso...


sábado, 30 de junho de 2012


A gente vive cercado de esperas todos os dias, o dia todo. É o horário de ir embora do trabalho, o fim de semana, o telefonema no dia seguinte, o amor. A gente espera diariamente pelo amor. Como se magicamente, o homem ou a mulher da nossa vida fosse acordar um dia pela manhã e miraculosamente se dar conta de que não pode mais viver sem a gente. Seria só uma questão de tempo pra bagunça na vida da gente se ajeitar e o coração se aquietar.

E toda vez é sempre diferente. Não importa quantas vezes nosso coração foi partido, não importa quantos desencontros ocorreram, não importa quantas vezes você já esteve aí nessa mesma posição, de espera e descompasso ansiando por uma reviravolta inesperada do destino, a gente sempre acha que amor é uma questão puramente de tempo. E o roteiro parece mudar apenas de protagonistas: se conhecem, se gostam, se amam, se limitam já no primeiro beijo – comigo, você só pode chegar até aqui. Aí a gente ajeita o banquinho da vida, coloca bem pertinho de uma janela bem movimentada, que é pra ficar observando a vida acontecendo lá fora e se senta. Senta e observa um milhão de possibilidade de felicidade passando pela janela trancada pelo cadeado mais poderoso que existe: o livre arbítrio. E o que antes era uma espera, vira um desespero.

A dura verdade é que amor acontece, amor não se espera.

Não importa se você é a pessoa ideal, se os momentos que vocês dividem são únicos, se você o faz rir e ele te faz dormir com os olhos cheios alegria, não importa se vocês seriam imbatíveis juntos – se não aconteceu, se a sementinha do amor não floresceu é porque não era pra ser. Simples assim. Amor cresce sim com os dias, com as horas compartilhadas, com as conversas intermináveis, as viagens, o pôr do sol na praia, o tempo de fato é um poderoso criador e o querer uma arisca criatura. Só que ele vem por si só. Ele vem de você ser você, ele (a) ser ele (a), e você juntos conseguirem ser um “nós” tão incrível que é impossível imaginar esse inteiro como duas metades separadas. Mas amor não é barganha, e talvez essa seja a frase que eu nunca vá me esquecer pelo resto da minha vida. Você não dá o melhor de si em troca de ser amado pelo outro. O amor acontece “apesar de”. Tudo bem, você é legal, simpático (a), agradável, tenta ser o melhor companheiro (a) do mundo, mas o amor vem justamente no sentido oposto. Ele vem trazendo uma xícara de chá quente quando você está insuportável de TPM na sua casa. Ele vem com um silêncio amparado de um abraço naquele dia que qualquer ponto torto é motivo de briga. Ele vem com as próprias pernas, e pra ser verdadeiro, tem que vir trilhando seu caminho assim, cheio de autonomia. Não dá pra forçar o coração do outro a bater pela gente, muito menos dá pra sentar no banquinho beirando a janela esperando que a mágica aconteça. Viver sim, apesar do amor.

Melhor que escolher o amor é deixar o amor escolher a gente, sem esperas. Senão a vida da gente vira quase um romance, mas com o tempo. Um relacionamento cheio de esperas, de vírgulas, de reticências num conto breve que na verdade deveria ser um “felizes para sempre”. Tudo é amanhã, depois, ano que vem, daqui 6 meses. Tem sempre a tal viagem, a tal distância, a tal fase da vida em que a regra é curtir sem compromisso. Tem o tal do limite, aquele que te impede e impede o outro de seguir em frente quando o assunto é o amor. Ironicamente ou não, nossas vontades e as do tempo quase nunca coincidem. Se a gente quer sair brincando pelo jardim, o tempo quer esperar um dia mais ensolarado; se queremos passear de mãos dadas no parque, o tempo quer sapatos melhores para fazer a caminhada. A gente vê o mundo de um jeito, o tempo vê de outro.

A gente tem um dom incrível que na maioria das vezes não é utilizado da melhor maneira possível. É o dom da escolha. Escolher continuar a caminhada ao invés de sentar no banquinho da vida aumenta consideravelmente as chances de o amor encontrar a gente e vice versa. Seja esperando que o príncipe encantado suba pela janela, seja estagnado (a) numa relação sem futuro por puro medo da sua própria companhia, não espere.

Repito: amor não é barganha! Amor é amor, e só. De graça, de mansinho, preguiçoso, livre como todo relacionamento deveria ser. Livre arbítrio amparado pela liberdade de ser, estar e permanecer, que só se constrói sem pressa nenhuma.

Danielle Daian

sábado, 23 de junho de 2012




Já ouvi várias vezes ah-como-você-lida-bem-com-as-coisas. Não, não lido. Sou péssima em lidar “com as coisas”. Sou ciumenta com coisas bobas, impulsiva pelo menos uma vez por dia, leio bula de remédio e depois acho que tenho aquele bando de sintomas, meu dedão do pé não é bonito, quero tudo do meu jeito e minha cabeça é muito, muito dura. Não sou uma musa, uma diva, uma entidade, uma mestra. Sou uma pessoa. E de vez em quando sou uma pessoa péssima. Péssima mesmo. De vez em quando morro de vergonha de mim. E se eu fosse você morreria de vergonha de mim também. Amo muito, tudo é muito, tudo é exagero, tudo é demais...

Clarissa Corrêa. 

quinta-feira, 14 de junho de 2012




- Sou impulsiva, dramática, exagerada, mas vivo com intensidade. Tenho paixão pelas coisas. E pelas pessoas. Sou movida pelo que sinto, pelo que vem de dentro, pelo meu coração. A razão? Que se exploda! Posso me dar mal, mas prefiro agir com o que vem lá do fundinho...

Clarissa Corrêa 

segunda-feira, 11 de junho de 2012


A gente procura um amor que dure o mais possível. Procura, procura, talvez tu ache. Para mim é horrível eu aceitar o fato de que eu tô em disponibilidade afetiva. Esse espaço entre dois encontros pode esmagar completamente uma pessoa. Por isso eu acho que a gente se engana, às vezes. Aparece uma pessoa qualquer e então tu vai e inventa uma coisa que na realidade não é. E tu vai vivendo aquilo, porque não aguenta o fato de estar sozinho.

- Caio Fernando Abreu

sábado, 9 de junho de 2012

Provavelmente existe, mas esse homem é aquele o qual voce se refere so como amigo, ou nunca sequer o nota, todas sempre acham q não existem homens assim, mas sempre tem no minimo um perto de voces, voces somente não percebem...ficadica!! :)





http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=QsNVDblM2gc

"Talvez quanto mais tentamos ficar alegres, mais confusos ficamos. Até não nos reconhecermos mais. Ao invés disso continuamos sorrindo, tentando ser a pessoa feliz que queríamos ser! Até que a ficha cai, sempre esteve lá... não em nossos sonhos e esperanças, mas no conhecido e confortável, o familiar"


Grey's Anatomy


sábado, 2 de junho de 2012




"No fundo, mesmo lendo tanto, pensando tanto e filosofando tanto, a gente gosta mesmo é de quem é simples e feliz. A gente não se apaixona por quem vive reclamando e amassando jornais contra a parede. A gente se apaixona por esses tipinhos banais que vivem rindo. E a gente se pergunta: que é que ele tem que brilha tanto? Que é que ele tem que quando chega ofusca todo o resto?"



(Tati Bernardi) 

terça-feira, 29 de maio de 2012

Galera, adorei esse blog com dicas para deixarmos nossa unhas impecáveis!!

vale a pena conferir...Eu to linda :)



http://www.eutolinda.com/unha-da-semana-2705/

sábado, 26 de maio de 2012




- Já se foi o tempo em que tentava ensinar algo a alguém. Antes eu tentava entender, tentava ajudar, compreendia “tadinho, é imaturidade”. Hoje, perdi a paciência. Saí do jardim de infância e fui direto pro mestrado: pra estar comigo, tem que entender do assunto...

Tati Bernardi 

sábado, 19 de maio de 2012




“Não peço que tire os sapatos, ao entrar na minha casa. Ou seria minha vida? Entenda como quiser. Peço que tire a máscara e a armadura. Pode deixar ali naquele cantinho, devolvo na saída. Prometo. E não me venha com silêncios ou imobilidades. Nada de recuos ou fugas. Apenas entregue-se. Aqui, o durante, é que importa. O antes e o depois você resolve lá fora, cadeira do analista, bar com amigos, tanto faz. Aceite as falhas, engula a pressa. E não me peça para escutar as coisas que você não diz. Não leio mentes, não faço jogos. Me aceita, me abraça e me recebe. Deixa alguma marca, cria alguma história.Sou uma mistura de aço e gelo. Adicione um pouco de vodka.
 E sirva-se.” 

Martha Medeiros

domingo, 13 de maio de 2012


"MÃE só tem uma como bem dizem por ai, não a escolhemos, não a comparamos, não a julgamos, apenas aceitamos, amamos e agradecemos pela que temos. Nascemos e encontramos ela, pronta pra nos dar seu amor,nos apoiar,nos acolher, nos entender, e acima de tudo nos defender do mundo.E temos que aceitar as suas imperfeições,assim como também as suas lições,seus ensinos,seus puxões de orelha, seu excesso de cuidado.

MÃE não é perfeita.Aliás quem de nós é? Ela pode ter errado com você muitas vezes, e talvez ela ainda venha a errar,porque a educação é um caminho dificil de trilhar, mães falham tentando nos dar o seu melhor.Mesmo que uma vez à outra o melhor que elas consideram não seja o mesmo que nós consideramos.
Mas uma coisa eu te garanto :o que for que ela tenha feito,ela não fez por mal. Sentar,conversar e acima de tudo aceitar que a mente de uma mãe as vezes não funciona como a nossa acho que é a melhor das soluções.Não estamos aqui pra julgar a ação,mas sim pra receber o que elas tem pra nos dar. Não importa o que seja.Até porque só entendemos o real siginificado da maternidade, e do sacrificio que é ser mãe quando passamos a ter os nossos proprios filhos !
O dia da mãe não e apenas hoje, mas todos os dias do ano, todos dias de nossa vida.Devemos agradecer pela presença desse ser iluminado em nossas vidas.
Algumas pessoas dizem que nunca descobriram o amor.
E o amor da sua mãe.Não conta?Ao nascermos nos deparamos logo com o amor da nossa mae, que é o nosso primeiro amor e descobrimos ao longo da vida que esse amor também é único.
A minha mãe vive dizendo que só uma mãe é capaz de dar a vida por um filho, e que só entendemos realmente tudo que ela tenha feito após o nosso primeiro filho.
Ela tem razao, é a lei da natureza. Elas sacrificam-se por nós, dão o seu tudo, o seu melhor sem esperar nada em troca além de um pouco de amor, e só ao termos os nossos proprios filhos é que compreendemos o grande amor e sacrificio que a nossa mãe teve e fez por nós.
Então hoje aproveite pra agradecer por tudo que ela é e sempre foi na sua vida.
Agradeça pelos dias que ela cuidou de você,mesmo quando ainda não tinha consciência da vida.Pelos dias que tomou suas dores,cuidou de você doente,contou histórias,trouxe leite a cama,fez a sua matricula na escola,levou você pra sair, esperou que você voltasse, secou suas lágrimas, te protegeu do mundo,te aconchegou no seu colo pra você dormir.MÃE a que te cuidou, quando você a viu,e mesmo quando você não a viu ali.
E se você ficar pensando :”E a minha que nunca fez nada por mim?” .Fez sim.Te trouxe ao mundo,e hoje de alguma forma você é o que é por ela.Agradeça também.E deseje-lhe o bem.Sempre.
Cuide da sua mãe hoje,amanhã,e sempre,seja lá ela quem for e como for !


FELIZ DIA DAS MÃES :)

Martha Medeiros

domingo, 29 de abril de 2012


"Sem muita frescura, sem muito desgaste, sem muito discurso. Tudo o que a gente quer, depois de uma certa idade, é ir direto ao assunto. Excetuando-se no sexo, onde a rapidez não é louvada, pra todo o resto é melhor atalhar. E isso a gente só alcança com alguma vivência e maturidade.

Pessoas experientes já não cozinham em fogo brando, não esperam sentados, não ficam dando voltas e voltas, não necessitam percorrer todos os estágios. Queimam etapas. Não desperdiçam mais nada.

Uma pessoa é sempre bruta com você? Não é obrigatório conviver com ela.

O cara está enrolando muito? Beije-o primeiro.

A resposta do emprego ainda não veio? Procure outro enquanto espera.

Paciência só para o que importa de verdade. Paciência para ver a tarde cair. Paciência para sorver um cálice de vinho. Paciência para a música e para os livros. Paciência para escutar um amigo. Paciência para aquilo que vale nossa dedicação.
Pra enrolação...atalho."

(Martha Medeiros) 

sexta-feira, 27 de abril de 2012


Parece que foi feita pra acontecer. Tem brilho de estrela nos olhos, alma de artista, jeito de menina moleca que sempre fica em dúvida se sobe na arvore ou pula corda com as outras meninas. Não gosta de ser igual, nunca quis ser a menina que brincava de boneca, queria ser bailarina, atriz de cinema, cantora de cabaret, queria quebrar regras, sair do padrão, viajar com o circo, queria o mundo na palma da mão.
Engoliu suas idéias, não perdeu o sonho, deixou ele adormecer e se acostumou a ouvir o não, e de não em não ela chegou onde está. Se acostumou a ficar no lugar, fincou seus pés no chão, criou raízes.
Os pés estão no chão, enraizados, seus sonhos adormecidos, mas seu coração não, seu coração pede mais, é feito de asas, asas doidas pra voar, mesmo sem direção, por que ela nunca sabe exatamente o que quer, o coração grita e pede enlouquecido que ela faça à sua vontade. Mas na cabeça ela tem razão, então pipoca pra lá e pra cá, espera a razão distrair, ver a placa do não cair e seguir o que seu coração pedir, por que ela foi feita pra brilhar!

Ovelha Negra

quarta-feira, 25 de abril de 2012


"Estar só, totalmente só, imperturbável, é um direito e um dever.
Não todo o tempo, mas por um breve tempo, o tempo que a gente
precisa para reencontrar a si mesma,para resgatar nossa mais pura essência,o tempo que a gente necessita para respirar...
suspirar..........
 transpirar........
 pirar."

Martha Medeiros

terça-feira, 24 de abril de 2012




"Mulher tem faro, não se contenta com a embalagem. É bem mais comum ver uma mulher linda acompanhada de um homem aparentemente sem graça do que o contrário. Não é (só) porque a concorrência é implacável e nos contentamos com o que sobra. É porque mulher tem raio-x: consegue olhar o que se esconde lá dentro." 

Martha Medeiros

domingo, 22 de abril de 2012



“Eu gosto das pessoas que param para escutar. Que gostam de abraços, que conseguem amar. Gosto de pessoas que riem de modo estranho, choram escondidas. Gosto de pessoas que não se escondem atrás de máscaras, pessoas que são fortes, pessoas que sempre seguem em frente. Gosto de pessoas que gostam de pessoas. Gosto de pessoas que sabem o motivo de uma lágrima, que estão sempre por perto. Gosto de pessoas que nunca se vão, de pessoas que ficam, que tentam, que conseguem. Gosto de pessoas assim… Como elas são.” 

sexta-feira, 20 de abril de 2012



Se você acreditar que tem mil anos, você tem mil anos. 
A realidade não esta fora, ela esta dentro. 
Uma semente por exemplo, pode ser guardada por mil anos, mas ela só vai crescer se você a plantar. Esta mesma semente pode até dar origem a toda uma floresta. 
O crescimento é interno e a natureza se expande em direção ao que flui e ao que você acredita.
O tempo é uma realidade que não esta fora de si e só quem olha para dentro enxerga a preciosidade da vida.
Pensamentos são sementes que se materializam somente se plantadas no coração.
Tanto para o mal ou tanto para o bem, não existe uma lei específica. 
Você colhe o que planta na profundidade do que acredita.

Rhenan Carvalho 



terça-feira, 17 de abril de 2012




As coisas acontecem quando você não as espera; as coisas acontecem quando você não as força; as coisas acontecem quando você não está ansiando por elas." 

- Osho - 

sexta-feira, 13 de abril de 2012



“O problema é que queremos que as pessoas entendam como estamos nos sentindo, mas a verdade é que nem nós mesmos sabemos. O problema é que existem pessoas que se importam, mas não acreditamos em nenhuma delas. É uma espécie de paradoxo. Fugimos na intenção de que alguém nos procure. Vamos embora na intenção de que nos peçam pra ficar. Não dizemos, mas queremos que percebam. É confuso, é complicado. O problema é sermos humanos, o problema é termos sentimentos.”

— Querido John

Poema do final de "Aquele Beijo"





O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.
A cobiça envenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódio e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.
Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.
Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.

[Charles Chaplin]

quarta-feira, 11 de abril de 2012




“Aí eu parei pra pensar: Coisa mais chata essa mania de valorizar o que chega de repente na vida da gente e esquecer quem permaneceu durante tanto tempo nela, não? Cansei de gente que chega, me vira de cabeça pra baixo e vai embora. De gente que chega, leva um pouco de mim e esquece de devolver. De gente que não permanece. Que não vem pra ficar. Pra viver. Por um momento, - e espero que por muito, muito tempo - quero poder viver feliz do lado de quem eu sei que não vai me deixar a-ver-navios. Do lado de quem não vai chegar, me dar um oi, pedir se tá tudo
 bem e depois sumir. Do lado de quem veio pra crescer junto. Ali. Inseparável.”


— Roberta Vicente 




Talvez porque fique escuro, e nos de a sensação que não estarmos sendo observados, de estarmos protegido da luz dos julgamentos dos outros
A noite tem essa magia, de nos fazer pensar, nos fazer analisar melhor as situações. A noite é um mundo a parte, que nos traz um pouco de silêncio, um pouco de paz.Nos traz sentimentos que nós já nem tinhamos idéia da sua existência.
Não fuja de suas lembranças, se permita recordar.Tirar esse tempo pra si mesmo.Em que você sai de cena, e pode por um momento ser o que realmente é.
No silêncio da noite temos oportunidade de avaliar o que aconteceu durante o dia, avaliar nossas atitudes, pra que de alguma forma possamos acordar e tentar um amanhã melhor..


Imelda Sitole 

terça-feira, 10 de abril de 2012




‎"Entre pernas, passos e tropeços a gente vai deixando algumas coisas pelo caminho e encontrando outras... O que não pode é se subtrair. O processo tem que ser de acréscimo, sempre. Nada é tão definitivo assim e a gente nunca É, a gente ESTÁ...
Sempre digo que quem se aprofunda nas coisas, quem mergulha, sabe exatamente o gosto que tem o alimento cru porque não se contenta com o que está pronto, posto sobre a mesa. A gente vai experimentando aqui e acolá, vai sentindo o ritmo, o tempo, tendo cuidado com algumas coisas e desrespeitando as placas de aviso de perigo de outras. A gente cai, levanta, chora, celebra. A gente vive. A gente se conhece através das reações dos outros a nós mesmos. A gente se trabalha ou estagna, regride ou evolui. A escolha é sempre nossa. Tal como as consequências. A gente resolve se entregar quando é tarde pra descobrir que pra respeitar o nosso próprio tempo, é preciso lembrar e ter o mesmo respeito pelo tempo do outro. E que muitas vezes, pra ser honesto, é preciso se correr um risco o qual não queremos. Mas a gente corre. 
Que o medo não tenha tanto poder sobre nós... E que não fiquemos condicionados por experiências anteriores - há sempre uma oportunidade de surpresa, mas teremos que estar abertos a isso. Nada é tão definitivo."


(Marla de Queiroz)